Ortomolecular > Medicina Ortomolecular

 A Medicina Ortomolecular é um ramo da ciência cujo objetivo primordial é restabelecer o equilíbrio químico do organismo. O termo ortomolecular vem das palavras gregas orto (equilíbrio) e molecular (das moléculas). O objetivo básico é conhecer as inter-relações bioquímicas que ocorrem em nosso organismo. A partir desse conhecimento, ela atua para manter o equilíbrio das moléculas e, de maneira mais global, das células, órgãos e sistemas que o compõem. Linus Pauling, já em 1960, considerava que se pode falar em saúde quando as moléculas de nosso organismo estão em constante equilíbrio. Quando esse equilíbrio é rompido, acarretando uma desorganização molecular, adquirimos as doenças.

  Este "acerto" das moléculas se dá através do uso de substâncias e alimentos naturais, sejam vitaminas, minerais e/ou aminoácidos. Estes elementos, além de proporcionarem um reequilíbrio químico, combatem os radicais livres.

Mas porque o nosso organismo se desequilibra?
  Para entendermos como isso acontece, partimos do princípio que o organismo é uma máquina que está permanentemente em processo de produção. Só que podem surgir falhas, seja na chegada da matéria-prima (vitaminas, minerais, etc) seja na própria integração de todo e qualquer sistema que compõe a máquina. Estes sistemas devem trabalhar de forma harmoniosa, como uma engrenagem: neuroendócrino, psíquico e imune. Qualquer falha em algum ponto ou mecanismo dessa máquina (ser humano) compromete toda a produção (vida), surgindo os defeitos (doenças).

  A Medicina Ortomolecular, através do uso de vitaminas e minerais, neutraliza os efeitos tóxicos, proporcionando uma melhor qualidade de vida. Apesar de ter um sentido curativo, ela também é preventiva, já que o paciente é encarado como um todo, um conjunto que deve funcionar em harmonia. As matérias-primas utilizadas como medicação são, na maioria das vezes, substâncias que já existem no organismo como vitaminas, sais minerais, aminoácidos, lipídios, hormônios e antioxidantes, entre outros. A Medicina Ortomolecular também utiliza agentes terapêuticos provenientes de alimentos comuns, o que faz dela uma medicina natural.

  A Medicina Ortomolecular está estritamente relacionada ao conceito de radicais livres, sendo o oxigênio, um dos componentes do ar que respiramos, a principal fonte para a sua formação. Os radicais livres acarretam enormes desvantagens para o organismo quando sua produção é aumentada a ponto de superar a capacidade antioxidante natural do próprio organismo. Nessas condições, adversas para o corpo humano, podem ocorrer situações degenerativas crônicas para os tecidos orgânicos.
A Medicina Ortomolecular baseia-se em um enorme paradoxo: a vida é um processo de combustão. O oxigênio, crucial para a existência, é também tóxico para as células.

  Ao respirarmos, parte do oxigênio consumido, obrigatoriamente, é transformado em radicais livres - moléculas instáveis que podem lesar, via oxidação, todas as macromoléculas da célula.
Alimentação inadequada, fumo, álcool, radiação, poluição, metais de transição e tóxicos, também contribuem para a geração de radicais livres que, em excesso, superam os mecanismos de defesa naturais das células e provocam o estresse oxidativo, onde milhões de células são danificadas e perdem sua função.

  O objetivo da Medicina Ortomolecular é justamente reverter este desequilíbrio molecular, através de suplementação vitamínica, micronutrientes, oligoelementos e antioxidantes sintéticos, tanto por via oral, quanto parenteral e endovenosa. Ganha, então, status de Medicina Preventiva, onde a maior preocupação é administrar a saúde e buscar prolongar a vida saudável e produtiva.

  É importante entender que, para fazer uso dos conceitos da Medicina Ortomolecular, é necessário e obrigatório ao médico um vasto conhecimento da Clínica Médica tradicional, com amplos conhecimentos de Farmacologia, para que possa apreciar as diferenças que existem entre o tratamento convencional e a terapia ortomolecular havendo, algumas vezes, necessidade de associá-las para o bom êxito do tratamento.

  Dentro dos conceitos de terapia ortomolecular, o equilíbrio metabólico é feito pela correções dos mecanismos moleculares fisiológicos, suprindo-se o organismo com elementos adequados para uma reordenação bioquímica, tendo papel principal as vitaminas, os minerais, os aminoácidos, os ácidos graxos essenciais e, quando necessários, alguns hormônios.

  Esses mesmos elementos, empregados no tratamento de várias doenças, são considerados medicamentos ortomoleculares por serem substâncias que participam obrigatoriamente do organismo humano sendo, portanto, oferecidos como matéria prima que o organismo utiliza para suas necessidades básicas.

  O médico que pratica essa terapêutica (que deve ser feita de forma direcionada, através da análise mineralógica dos cabelos e exames complementares laboratoriais e/ou radiológicos) está, certamente, contribuindo para evitar a produção excessiva de radicais livres, diminuindo o consumo abusivo de medicamentos tóxicos para o ser humano (antibióticos, corticóides, etc) e, com isso, fazendo a prevenção das doenças degenerativas crônicas, o que certamente irá proporcionar mais saúde e um envelhecer com melhor qualidade


O que a deficiência dos minerais acarreta?

• Cálcio
Cãibras; Bruxismo; Queda de Cabelos; Unhas frágeis e quebradiças; Dentes frágeis e cáries frequentes; Síndrome de pernas inquietas; Insônia; Arritmias cardíacas e Palpitações; Osteoporose e Alteração da coagulação.

• Magnésio
Tremores musculares; Cãibras; Zumbidos; Tendência para intestino preso; Bruxismo; Parestesias de MMSS e II principalmente pela manhã; Arritmias e Palpitações.

• Zinco
Acne; Letargia; Apatia; Diminuição da memória e concentração; Dificuldade de concentração; Queda de cabelos; Unhas frágeis, quebradiças e com mancha branca; Diminuição do Olfato, Paladar e Audição; Zumbidos; Dificuldade de Ereção; Oligospermia; Irregularidades Menstruais.

• Cobre
Dores Articulares; Fraqueza Muscular; Fadiga Fácil; Edema nos Tornozelos e Pulsos; Queda de Cabelos.

• Potássio
Polidipsia; Apatia; Letargia; Cansaço fácil; Arritmias cardíacas e palpitações; Tendência a intestino preso; Alteração do turgor da pele; Cãibras.

• Ferro
Fadiga fácil; Cansaço; Anêmia hipocrômica; Edema de tornozelos que piora com a posição ortostática durante o dia; Cefaléia; Tonturas; Queilite; Taquicardia e Palpitação.

 Manganês
Andar cambaleante; Deficiência de coordenação motora; Perda de equilíbrio; Diminuição da audição.

 Cromo
Alteração do metabolismo dos carbohidratos; Sudorese noturna; Sono agitado com pesadelos; Pânico e fobias; Diminuição da capacidade de concentração e memorização; Extremidades trêmulas e frias; Dor de cabeça tipo enxaqueca.

 Selênio
Fraqueza muscular; mialgias; Queda de cabelos; Dermatites de pele e couro cabeludo; Dermatomicoses; Monilíase vaginal; Micoses de repetição com aumento da frequência de dermatite seborréica.

 Iodo
Aumento do peso corporal; Fadiga; Cansaço fácil; Apatia; Embotamento; Pele seca e áspera; Massa ou nódulo em mamas; Bócio ou massa palpável em tireóide.

• Fósforo
Diminuição da memória, Atenção e Concentração; Fadiga e cansaço fácil; Perda de iniciativa(desiste fácil); Respiração curta com dificuldade; Edema de tornozelos; Dores articulares com limitação funcional.

• Lítio
Depressão; Insônia; Dores musculares tensionais; Aumento dos sintomas da menopausa.


O artigo abaixo foi extraído do site Palavra de Médico (www.palavrademedico.kit.net) de autoria do;
Dr. Rogério Alvarenga - Médico CRM-RJ 23389-0

Modos de atuação da Medicina Ortomolecular

PREVENTIVA - através de diagnósticos cada vez mais precoces, detectando alterações metabólicas subclínicas, antes do surgimento de doenças, utilizando-se do tratamento Ortomolecular que visa o equilíbrio global do indivíduo, dando-lhe condições de manter-se sadio ou, diante de doenças, obter melhor resposta a terapêutica específica empregada.

SISTÊMICA -
atua na avaliação diagnóstica de todos órgãos e sistemas, analisando a inter-relação e interdependência entre eles e nos tratamentos nutricionais celulares, através de suplementação com nutrientes indispensáveis ao organismo.

INTERATIVA -
atua na inter-relação dos sistemas humanos com os sistemas ambientais.

  Na abordagem Ortomolecular, o desafio é descobrir quais os nutrientes que estão faltando , os que estão em excesso e ainda verificar os elementos tóxicos no organismo do indivíduo.

  Muitas das vezes, a correção dos desvios encontrados é o suficiente para proporcionar o equilíbrio metabólico e energético necessário para o indivíduo retornar ao estado de saúde.


 Os males da "Ferrugem" do Corpo

  Ao oxidar células sadias do organismo, de uma maneira semelhante à da ferrugem que corrói peças de ferro. Com o passar do tempo, essas agressões, causadas pelos Radicais Livres, vão destruindo os tecidos e abrindo caminho para diversos problemas de saúde como:

Afecções de Pele

Aterosclerose

Osteoporose

Displasia Mamária

Stress

Agressividade

Magreza

Desinteresse Sexual

Fadiga Crônica

TPM

Artrite

Catarata

Gastrite

Obesidade

Depressão

Artrose

Ansiedade

Envelhecimento Precoce

Retenção de líquidos pelo organismo

Dificuldade de Aprendizagem


 
Intoxicações por Metais Tóxicos e Pesados

  A Medicina Ortomolecular também possui uma atuação importante no tratamento da intoxicação por metais pesados, como chumbo, alumínio, cádmio, mercúrio e outros.

  O Chumbo é um dos metais tóxicos mais encontrados e os sinais clínicos mais evidentes de intoxicação por chumbo, presente principalmente em áreas industriais e que até pouco tempo era adicionado a gasolina, são irritabilidade, agressividade, sangramento nas gengivas, impotência sexual, síndrome do pânico, fadiga, medos, diminuição da memória em adultos e dificuldade de aprendizagem em crianças, além de outros sintomas.

  Não é só. A intoxicação pelo chumbo pode ser provocada por alguns de tinturas para cabelos e está muito presente entre operários que trabalham com soldas, principalmente linotipistas de gráficas e jornais. Curiosamente, é citado que a queda e degeneração intelectual do Império Romano encontram-se relacionadas a esse metal. Fatos que são atribuídos à intoxicação pelo chumbo, desde que os romanos passaram a utilizar água encanada em canos feitos por esse metal, além de utilizarem tonéis de chumbo para armazenar o vinho que consumiam.

  O  Mercúrio, encontrado nas amálgamas dentárias, mariscos contaminados pelo metal assim como alguns componentes de cálcio de ostras (sem controle de qualidade das ostras utilizadas, se contaminadas ou não por mercúrio), pode provocar intoxicação levando a depressão, fadiga e alterações neurológicas que podem até levar a encefalite.

  Já o Cobre pode causar dores articulares, fadiga, depressão e dificuldade de aprendizagem em crianças entre outros sintomas.

  O Alumínio, por sua vez, compromete principalmente os ossos e o cérebro. Acredita-se que a intoxicação por esse metal possa ser um dos desencadeadores da Doença de Alzheimer, que leva a uma demência total como aconteceu com a atriz Rita Hayworth e acometeu o ex-presidente americano Ronald Reagan. O alumínio ainda pode provocar depressão e impotência sexual, entre vários sintomas descritos pela ciência. Ele está presente nos laminados (papel alumínio, quentinhas (marmitex), panelas), desodorantes anti-perspirantes e outros cosméticos, pastas de dentes, etc.


Stress

  O stress é uma das situações que melhor responde ao tratamento pela Medicina Ortomolecular. O stress trata-se de uma reação neuro-hormonal a uma situação inesperada, ou seja, o cérebro libera substâncias (hormônios) que irão modificar todo o funcionamento do organismo.

  Se esta reação perdurar pôr algum tempo surgirão conseqüências físicas e psicológicas deste funcionamento alterado.

  As alterações físicas são: taquicardia, tensão muscular, transpiração excessiva, cansaço, aumento da pressão arterial, dor de cabeça, dor de estômago, pressão no peito, alergias, queda de cabelo, gripes constantes, impotência sexual, etc.

  As alterações psicológicas são: irritabilidade, isolamento social, incapacidade de relaxar, insônia, desinteresse sexual, perda do prazer, depressão, medo e distúrbio do pânico.


Obesidade

Diana Campos - ObesidadeO Tratamento da Obesidade pela Medicina Ortomolecular, onde através de exames especializados em que os hábitos alimentares do paciente são analisados, como ainda todos os alimentos que a pessoa ingere, determinando assim as carências de vitaminas, sais minerais e aminoácidos que a pessoa ingere na alimentação, que poderão estar provocando doenças, inclusive a obesidade. Assim, o Médico pode complementar as necessidades vitamínicas do paciente e prescreve também substâncias naturais, como determinados aminoácidos e fitoterápicos e drogas específicas que irão reduzir o apetite, a ansiedade, a depressão e a compulsão em comer, além de auxiliar a queimar as gorduras.

Stress Oxidativo e Obesidade

Que é stress oxidativo?
  Se você ver uma maçã escurecida ou uma grade de ferro enferrujada, você está vendo os resultados do stress oxidativo. O mesmo processo que causa esta deterioração pode também causar a doença no corpo humano.

O Stress Oxidativo são os danos causados às células que ocorrem em processos metabólicos normais com a produção "de radicais livres", instáveisDiana Campos - Stress Oxidativo e moléculas eletricamente carregadas de oxigênio. Na ação de encontrar um "par" e transformar-se radicais estáveis, esses radicais livres interagem com a molécula mais próxima, alvejando proteínas, gorduras, ou mesmo DNA. Estas ações podem ser tão violentas que criam explosões da luz dentro das células. Se não neutralizadas rapidamente, podem criar mais radicais livres ou causar  danos às paredes dos vasos e das células, aos lipídeos, às proteínas, e mesmo ao núcleo (DNA) da célula e a processos que podem conduzir à  morte da célula (Apoptose).


  Pode-se comparar as lesões causadas pelos radicais livres aos danos que ocorrem quando as fagulhas de uma lareira voam para fora de onde há o fogo. É como se na maioria do tempo o fogo se queima normalmente, mas ocasionalmente há um "estouro" e fagulhas saltam para fora caindo no carpete. Se este processo continuar por muito tempo o carpete vai ficando "puído" , eventualmente expondo o forro e o assoalho subjacente. Em nossos corpos, esta fagulha é causada por um radical Hidroxila e o "puído" resultante pode conduzir as desordens degenerativas do cérebro como Parkinson e Alzheimer, ou às condições metabólicas como o Diabetes, Aterosclerose, doenças do coração e à Obesidade.

  Sob circunstâncias normais, há um equilíbrio delicado entre a produção de radicais livres e os Anti-oxidantes, entretanto, durante períodos da produção aumentada de radicais livres, os Anti-oxidantes podem se esgotar no processo do neutralização, deixando o corpo com pouca ou nenhuma defesa no caso de um outro ataque de radicais livres. O stress oxidativo é regulado por uma combinação de fatores hereditários, do ambiente e do estilo de vida. Quando é possível influenciar o estilo de vida e alguns fatores ambientais com a dieta, a atividade física e o suplemento de anti-oxidantes, é bom, pois não podemos mudar os nossos genes. E infelizmente, muitos pessoas funcionam com um nível anormalmente elevado do stress oxidativo que poderia aumentar sua probabilidade da incidência de doenças relacionadas com a idade. Entretanto, ao melhorar nossos hábitos e os fatores ambientais pode diminuir a quantidade de radicais livres que se formam no nosso corpo, e assim, reduziria o risco de doenças degenerativas e metabólicas.

  O stress oxidativo ocorre durante toda a vida, a medida que nós envelhecemos. A fonte principal da formação dos oxidantes é pela Mitocôndria, a parte da célula responsável pela produção de energia. As mitocôndrias produzem a energia com um processo conhecido como Fosforilação Oxidativa, e com este oxigênio altamente reativo do processo, os radicais são gerados que podem subseqüentemente atacar células em nosso corpo. Os radicais livres, conhecidos também como espécies reativas do oxigênio, são somente um dos produtos da respiração da célula, mas os danos ao DNA que ocorre com eles podem, também, conduzir à produção aumentada dos radicais livres e possivelmente as mutações do DNA mitocondrial. O stress oxidativo pode também causar os danos aos lipídios e às proteínas.

 

Diana Campos - Mitocôndria

 




As mitocôndrias são a parte da célula responsáveis para a produção de energia e a respiração da célula.

 

 

Diagnóstico em Medicina Ortomolecular

  Nada substitui uma consulta com um Médico especializado, pois tanto para a mulher como para o homem, a avaliação Médica e especialmente a Terapia Ortomolecular tem que ser individualizada e só deve ser prescrita por Médico, e que para se ter uma base do que se vai indicar para um paciente é necessário fazer uma minuciosa anamnese clínica, avaliar o estado psico-emocional do paciente e  fazer um estudo pormenorizado com exames laboratoriais, inclusive Ortomoleculares como o Teste do Cabelo (Mineralograma) e outros através de sangue, urina e fezes.

  Pouca gente sabe, mas basta uma simples mecha do cabelo para se detectar as doenças em Medicina Ortomolecular e assegurar a saúde do corpo inteiro. O Mineralograma (Teste do Cabelo) , um “check-up hi-tech”, é o exame que traça o perfil mineral da pessoa.

  “A importância de se fazer a análise dos fios de cabelo está no fato de como as unhas, serem tecidos onde os minerais, tanto os essenciais como os tóxicos, são retidos ou armazenados

  O Mineralograma consiste no exame feito a partir de uma amostra de apenas 1 grama de cabelo, que é enviada para um laboratório especializado, como o da PUC do Rio de Janeiro, onde é feita a análise. O resultado fica pronto no período de 30 a 40 dias. Já o tratamento proposto e provado sua eficácia pela Medicina Ortomolecular será determinado após esse exame e também de outros que serão realizados paralelamente.

“A Medicina Ortomolecular não tem qualquer tipo de contra-indicação, seja para tratar uma criança com dificuldade de aprendizagem escolar ou uma paciente portadora de osteoporose, inclusive portadores de câncer, que nesse caso a finalidade será de aumentar a imunidade celular e tentar prolongar mais a vida”

A Terapia Ortomolecular é totalmente natural para o organismo, a base de vitaminas, aminoácidos, substâncias anti-oxidantes, “smart-drugs” e minerais tratados especialmente de forma que sirvam para combater os Radicais Livres, neutralizando-os. Mais: é um tratamento totalmente individual, ou seja, a medicação se baseia na história clínica, no exame do cabelo e/ou alimentação e exames de sangue e urina de cada paciente. 


Estratégias da Medicina Ortomolecular

1- Cuidar do Sistema Digestivo
2- Dieta Inteligente
3- Exercícios aeróbicos moderados
4- Resolver os problemas do cotidiano- aprendendo a      programar o que quer mudar
5- Autoconhecer-se
6- Aprender a livrar-se dos metais tóxicos
7- Abolir o fumo e o excesso de álcool
8- Higiene do sono
9- Detectar e tratar parasitoses intestinais e reeducar-se para não adquirir novamente
10- Antioxidantes e nutrientes com moderação e equilíbrio

Busca do equilíbrio

  Estresse, depressão, emagrecimento, gastrite ou simples prevenção, muitas são as razões que levam o paciente a procurar a terapia ortomolecular. Em muitos casos, a técnica acaba levando ao diagnóstico de outros problemas.